quarta-feira, maio 11, 2011

Até isso passa...

To tentando descobrir como fazer isso com um mínimo de dignidade.
Posso vender todas as minhas coisas. São apenas coisas. Acho que hoje o que eu não venderia de coisas é apenas o computador, pois é ferramenta de trabalho e sem trabalho não se ganha dinheiro e não se paga as contas.
Também é por aqui que estou recebendo uma super consultoria, que está me colocando no prumo. É incrível como as pessoas podem se tornar próximas a partir de uma máquina, nutrir admiração e estabelecer relações.
Para não pifar, meu coraçãozinho manda todas as tensões para minhas escápulas Que doem loucamente e diariamente. Sei que é temporário.
Se até a uva passa...
Ou como diria o sábio (ta bom, não lembro o nome, mas o sábio é ele e não eu) Até isso passa...

Aliás, tenho me apegado a isso. Até isso passa, serve em qualquer momento, quando se está eufórico demais, pensar que isso também passa me dá mais serenidade para aproveitar a alegria. Jamais deixo de viver a alegria, afinal, se uma hora ela vai passar, eu preciso aproveitá-la.

Sei que as contas serão pagas, em algum momento tudo vai serenar. Mas nem por isso eu deixarei de amar, nem agora, nem amanhã.

Nenhum comentário: