terça-feira, janeiro 13, 2009

confissões de uma mente perigosa

Odeio quando as pessoas não entendem o que eu digo. Me bate tamanha frustração não me fazer entender que para pra pensar: o problema deve ser realmente meu! Lógico, se eu dou uma instrução para alguém e esse alguém não acompanha o meu raciocínio, ou estou sendo confusa ou rápida demais (prefiro acreditar na segunda opção, mesmo que a primeira lhe pareça tentadora ). É isso então! Eureka! Assim como homens solteiros com gato são gays (brincadeira de lógica idiota da adolescência, que provavelmente a única pessoa que compreenderia não deve lembrar) meu raciocínio é que é acima da média rsrs. Como já dizia o poeta: “Tudo é questão de manter, a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo.”

Nenhum comentário: